Deputado Vicentinho, novo líder da Bancada do PT na Câmara (Foto: Liderança/PT)
Deputado Vicentinho, novo líder da Bancada do PT na Câmara (Foto: Liderança/PT)

Novo líder da bancada do PT na Câmara, ele fala sobre os eixos principais de irão orientar os deputados petistas em 2014
O deputado Vicentinho (PT-SP), aclamado nesta segunda-feira (3) como novo líder da bancada do partido na Câmara, em substituição ao deputado José Guimarães (PT-CE), reafirmou o compromisso da bancada petista com o avanço do processo de transformação pelo qual passa o Brasil desde 2003, com o início do governo Lula. O parlamentar também citou a Comissão de Direitos Humanos como uma preocupação.
Confira o que disse Vicentinho na sua primeira entrevista como líder do PT em 2014.
PT na Câmara – Quais serão os eixos principais que orientarão a bancada do PT em 2014?
Vicentinho – Temos algumas certezas para este ano: o compromisso com a transformação social; o apoio ao governo Dilma, que é fruto do nosso projeto, do nosso partido; e a defesa da nossa bancada, de modo que ela não perca a sua cara própria e promova bons debates e bons diálogos com o governo e com os demais partidos na Câmara. A caminhada será árdua, mas vamos enfrentá-la com muita disposição.
De que modo o seu histórico de ex-presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e o fato de ser o primeiro negro a liderar a bancada vão influenciar no seu mandato?
Um líder partidário é um porta-voz da bancada e atuarei desta forma. É claro que temos uma ou outra sensibilidade mais particular, relacionada de onde cada um veio – eu venho do mundo operário –, mas é fundamental a luta pela dignidade humana, que inclui a luta pelos direitos iguais, pela igualdade social, pela igualdade racial e contra todo tipo de preconceito, que é o que representa a nossa bancada. O fato de ser um líder operário e negro são fatores que caminham conosco, mas meu papel será o de representar toda a bancada.
Já há alguma definição quanto às comissões permanentes que o PT pretende presidir este ano?
Vamos dialogar para ver quais são os pleitos da nossa bancada e também dos demais partidos, especialmente dos partidos da base. Com as informações minimamente concebidas, iremos tomar nossas decisões. A Comissão de Constituição e Justiça é, obviamente, a nossa prioridade, mas tenho também uma preocupação especial com a Comissão de Direitos Humanos, pois não gostaria que se repetisse o que aconteceu no ano passado, mas também nos preocupam a questão da fiscalização das finanças, a agricultura, a educação, entre outras.
(Rogério Tomaz Jr. – PT na Câmara)