A crise de credibilidade da Lava Jato aumenta a cada dia. Com a notícia de que o procurador Deltan Dallagnol será julgado, nesta terça-feira (18), pelo Conselho Nacional do Ministério Público, o que pode causar o seu afastamento da operação, o deputado Alencar Santana Braga (PT-SP) se pronunciou e foi enfático.
“O afastamento de Deltan Dallagnol da #LavaJato é muito pouco para quem cometeu tantos crimes quanto ele. O Ministério Público não pode ter em seus quadros alguém tão inescrupuloso. O que o CNMP julgará é se pessoas sem limites como DD podem chefiar operações do MP”, disse o parlamentar, em seu Twitter.

Moro em defesa dos cúmplices

Sérgio Moro, o ex-ministro da Justiça de Bolsonaro e cúmplice dos crimes da Lava Jato, também usou o Twitter para proteger Dallagnol. Moro referiu-se à operação e ao trabalho do procurador como “um marco para o combate à corrupção”.
Após a manifestação de Moro, Alencar Santana fez uma resposta dura ao ex-colaborador de Bolsonaro.
“Realmente a #LavaJato é um marco de ativismo político como se nunca viu na história do Ministério Público. Servidores públicos corruptos se aliaram a um juiz corrupto para cometer crimes contra o Estado de Direito, em parceria e sob orientação de órgãos de um país estrangeiro”, criticou o deputado.

Equipe Alencar Santana Braga