2  Daniele Lopes
Por iniciativa do deputado, o desabamento do lixão em Itaquá será apurado.
Como membro da frente parlarmentar Em Defesa dos Municípios do Alto Tietê, o depu­tado Alencar conseguiu assinaturas de outros parlamentares para que uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) fosse instaurada na Assembleia Legislativa do Estado a fim de esclarecer a explosão do aterro sanitário de Itaquaquecetuba, administrado pela empresa Pajoan, ocorrido em abril de 2011.
Segundo o deputado Alencar, o aterro funcionava através de uma licença provisória que, renovada a cada seis meses, se estendeu por 10 anos. “A Cetesb concedeu uma licença irregular. Se é provisória não pode perdurar
por tanto tempo”, afirmou o deputado.
Com a explosão, a área transformou-se num lixão a céu aberto e as toneladas de lixo interditaram a Estrada do Ribeira e uma parte do lixo caiu na Estrada José Sgobin, que liga alguns bairros da cidade de Itaquaquecetuba e é uma das vias de acesso ao município de Arujá. A montanha de lixo chegava a altura de 12 metros.
A CPI será composta por nove membros, com a finalidade de investigar as causas e apurar as responsabilidades pelo desmo­ronamento de aproximadamente 450 mil toneladas de lixo do Aterro Pajoan, ocorrido em 25 de abril de 2011. Aguarda agora os pro­cedimentos burocráticos da casa.
Alencar também atuou contra a instalação de um cadeião em Itaquaquecetuba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *